quinta-feira, 4 de junho de 2009

Momento Encantado

Momento Encantado.
maio84

O forte aroma do mar chega ao mais íntimo do meu ser.
Águas claras, céu limpo, as gaivotas dão um lindo espetáculo.
No horizonte, até onde vai a vista, não se consegue mais diferenciar o céu e o mar.
Reluz o reflexo dourado do Sol no mar águas. A claridade encandeia por um instante, até os olhos se acostumarem com essa maravilha. Um brilho intensamente colorido dança aos olhos...
E surge uma vontade enorme em tocar essa beleza natural, aguçando a sensibilidade em fundir-se com o esplendor dessa luz.
E o mundo pára, não existe mais o tempo, mais diferença entre homem e natureza.
O que existe, o que ocorre é uma junção entre duas coisas naturais.
É a entrega, o abandono físico diante do qual nenhum ser é capaz de defender-se.
É esse fino, leve, mas palpável momento no qual se desmata a inibição e emerge uma força maior. É esse dado momento em que a força luminosa leva, eleva ou simplesmente transborda no ser. Êxtase, o ser e o momento encantado, levando-o pelas asas da inspiração.

As gaivotas estão indiferentes com a minha presença; voam, deslizam no céu.
Existem pessoas que passam na vida, sem que esta as toque. São como partículas ou folhas ao relento.
As gaivotas inclinam-se para o mergulho. Nós humanos somos interessantes: tememos aprofundarmo-nos em nosso íntimo, rasgar nossos véus e acharmos nosso real significado de vida.
As gaivotas mergulham em vôos rasantes. Ao impacto na água, seus corpos parecem frágeis!
Mas a busca ao alimento, à sobrevivência é mais forte... Até o medo, existe o medo?
Mesmo que temam, a necessidade é maior.
Ali está o alimento: A Verdade.
Existem pessoas que tocam a vida como as gaivotas em seus mergulhos.
Como o mergulho: Ouve-se a sinfonia: sentimento, área coração.
Ao coração nada é induzido ou auto-sugerido, Reino da essência - Luz.
A escura inconsciência deu frio, mas o sol aquece o coração.
As lembranças re-suguem, quais fotos gasta pelo tempo.
E nesse belo momento encantado, vejo e observo, o que importa é a busca ao alimento.
Alimento: o EstarTocar.... simples e natural...

6 comentários:

Alado Viajante disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Chris disse...

Momento encantado, passar por aqui...
bjs
Chris

Tereza Ferraz disse...

Obrigada Cris!

António Rosa disse...

Muito obrigado pelo link ao Cova do urso. Também já está lincada lá no meu espaço.

Bom fim-de-semana.

Tereza Ferraz disse...

Ola Antonio!
Grande emoção-coração!
E de coração para coração: Obrigada!
Tereza Ferraz

ney disse...

Tereza,
Disse bem: "Nós humanos tememos aprofundarmo-nos em nosso íntimo, rasgar nossos véus e acharmos nosso real significado de vida."
Lembrei de um trecho de AMOR É ENIGMA, do Artur da Távola, que dizia dessa busca de nossas verdades...
"O jovem ainda não se defrontou com as terríveis e dilacerantes divisões internas de que é feita a tarefa de viver e amar, aceitando as próprias limitações, confusões, os caminhos paralelos e contraditórios das escolhas, dentro de um todo que, para se harmonizar, precisa viver as divisões, os sofrimentos e os açoites das mentiras e enganos que conduzem as nossas verdades mais profundas...
Viver implica, pois, aceitar essa dolorosa e desafiante tarefa: a de enfrentar o amor como a maior das maravilhas e que se nos apresenta sob a forma de enigma. Tudo que se move dentro do amor está carregado de enigmas. E com o enigma dá-se o seguinte: enfrentá-lo não é resolvê-lo. Mas quando não se o enfrenta, ele (enigma) nos devora. Enfrentar o enigma mesmo sem o deslindar, é aquecer e encantar a vida, é aprender a viver; é amadurecer. Exige trabalho interior penoso, grandeza, equilíbrio e auto-conhecimento. O contrário não é viver: é durar."
Bom final de semana. Abraço;ney.