sábado, 12 de dezembro de 2009

Soma

 

Tentado explicar o que o coração sente.
E segue aos que sentem.
A soma é a união e re-união de seres na sintonia coração.
A canção entoada.
Na soma da energia coração Amor, sem maiores ou melhores,
Cocriamos juntos uma realidade.
Sem lutas e sim seguindo juntos de mãos dadas.
Sem imposições, apenas sentindo.
E seguimos ao campo da manifestação.... 

sábado, 5 de dezembro de 2009

Atravessou e Sopro

video
Presente de Heloisa Ferraz & Luiza Hippert.
Grata

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Realizamos




O Amor dentro de cada um de nós.
Juntos mudamos uma realidade, diante da força máxima: Amando.
Realizamos esta realidade. Sem maiores ou melhores, simplesmente e naturalmente na sintonia coração, freqüências são necessárias à sinfonia, mas dentro da Unidade consciente: Amor Soma.

domingo, 22 de novembro de 2009

Amor



Ali sentada, aguardava sentido: Amanhecer...
No aqui o tempo parece lento, como por momento assim também me sinto.
Observando: ilhas, campo e códico.
E as energias tão fortes...leva-me a lembrança:
- Lá é Harmonia, sentido é o Imediato, onde tudo está inserindo na Razão Maior. 
Lembranças...

Razão Maior, diante da intensidade sentida Amor gera a possibilidade Real.
A realidade tridimensional, não condiz com o que, o coração sente.
A ação da realidade sentida está na Razão Maior. Não no provável e sim no possível.

Por tempos se espera o Meio de mudanças, o meio em cada um de nós.
Palavras averbadas e sendo compridas, através do Amor.
Quem sente, a semelhança, segue.
Quanto mais se sente, mais se amplia e expande.
Gerando uma maior capacidade do possível no Agora.
O campo não do provável, o campo do possível...


sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Nós


O que no campo colocar?
O nós.
Sem nos de pesos...
Simplesmente, nós... naturalmente: nós.
Consciência: corações acesos.

sábado, 7 de novembro de 2009

Aterrisso

Durante anos e anos, o estar coração...
No ritmo do pulsar entoando a canção.
Sem etapas e sim, movimento:
Chegar, entrar e estar.
O momento não altera o estar coração,
pois só através dele ocorrem os ajustes.
Ciente do potencial da energia.
Olhando o céu o Lá-Lar: Ali.
E no vazio:
Para ali estar, necessário estar inteiros no Cá.
Qual ave planava...o pouso só em praias ou florestas.
Na praia a referência ao Sol, nas florestas o despercebido.
A vontade rendida à TUA vontade.
As três forças: pensamento, emoção e palavras.
Submetidas a uma só, a TUA.
E eis campo.
A pergunta: o que colocarias?
A resposta de muitos: os elos dourados - Povo.
Mas para tal é necessário o Cá... ...Aterrisso.
Ar, fogo, água e terra e o quinto.
Com as forças-poderes em aliança com os elementos.
Dá a noção: somos o meio no qual existe a transformação.
Partes do Todo, dentro do campo, qual manto.
O emprego dentro de um único Propósito!
E no Campo...feito pelo propósito: Unidade em terra.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Atravessou



Atravessou-se...

Uma caminhada de tempos,
pelo deserto foi para muitos,
alguns foi na floresta.
O cansaço é tamanho, mesmo se chegando ao lugar,
O corpo pede: descansar.
A vista enxerga o extenso campo.
E alguns vêem oásis.
Há silencio, o olhar se acostuma...

A mente toma consciência que antes da chegada, houve o vazio.
Ajuste feitos no vazio diante da própria energia coração.
Necessária a consciência do vazio e ajustes.
Para em si pegar os elementos, e dar-se conta do quinto.
Extenso campo...
Energia coração manifestada...

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Ponte



A ponte.
No aqui agora ela presente.
Transpô-la é também escolha.
Um transporte para nossos corações.
Seguindo adiante há o Campo. 

domingo, 25 de outubro de 2009

Som do Chamado

-->
-->A expansão segue o ritmo do pulsar do coração.
A mente acompanha qual o balanço: um vai e vem.
Se respiro o que o que sinto,
Mais forte e intenso fica o Vai e Vem.
O foco: Ali.
No balanço... há um aguardar.
Mesmo que quietos fiquemos,
há o ritmo...
O aguardar,
garantindo-se: a chama está acesa e sinto o som
O chamado de Ali chegar.
Pois parte de mim,
ali esta. 

domingo, 18 de outubro de 2009

Sopro



Qual vento,
flecha ou tecla...Energia corre.
A recepção é de cada um, como a decodificação.
Enquadrá-la para assimilá-la.
Sentir para agir.

Movimento e expansão,
Alguns em recolhimento de si para consigo.
Pois o expressar é expor-se.
Onde há o tempo pessoal.

Voltamos á consciência,
Caminhos ou trilhas. Independe, pois o sopro nos coloca em posições.
Em todos é sentida: mudança.
O sopro alia-se á própria energia coração.
E a lógica nem sempre alcança.
Retidos alguns...Mas isso está acima.
Importa é que sentem e dentro do “tempo certo” voltaram a dar as mãos. 

Movimento: Leque aberto, onde todos são acolhidos.
Expansão: sopro exalação.
Mudanças: sintonização.
E a bela canção entoada.
Você, eu... Entoada por todos os corações,
em aliança: o sopro que a leva.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Sempre



No Silêncio, e vazio da mente.
Existe só o Agora Sempre.
Respirando e exalando.
Ritmo do pulsar coração.
Luz acessa em todos nós.
A Luz e o Sempre: Amor.
A percepção amplia-se: o Prometido ocorre!
O render Graças...


sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Observa


Olhando a própria imagem refletida,
do Lá ao Cá, Cá e Lá.
Qual arco, ponte.

Dentro da visão tridimensional: difícil enxergar.
A percepção da energia coração, Amor: o fluxo expansão.
Há mudanças...
A pergunta que a mente faz: para onde?
E a resposta: onde teu coração aponta.

domingo, 4 de outubro de 2009

Despertar


Dentro do não tempo, sente-se: Agora.
Este sentir entra no aqui em terra pelo coração, e trás o Agora.
E o prometido fica mais e mais sentido e visível.

Tuas palavras e promessas.
Não fogem ao sentido, o sentido teve que percorrer o tempo.
E torna-se sentido caminho,
torna-se sentido no coração.
Não são dúbias, são claras como a Fonte, são as mesmas há séculos.
A limitação racional enquadrou,
o que foge ao quadrado da matéria e transcende.
E cada um que as sente: exala nos quadrantes.
Despertar...Despertar ao compromisso assumido por si mesmo.

sábado, 3 de outubro de 2009

Momento

 
Momento de silêncio.
Árvores em meio às areais...
Luz permeando Tudo. 

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Passo

Um passo é dado.
Diante de “longo tempo”: manutenção.
Onde a Água era dada aos que tinham sede.
Agora seguem a Fonte.
O passo dentro do compasso da canção.
Há consciência do foi e será.
O É... vem o leve sorriso, a condução norteia - como sempre.
Passo, que se enquadrar na classificação mental, sairá um: é muito.
A resposta: são para os que sentem.
A “seleção” não é de ninguém, é apenas e tudo: Sintonia.
A flecha no Ar indica e mostra: rumo.
Juntos no Somos, um abrigo.


terça-feira, 29 de setembro de 2009

Ouvis-te


Ouvis-te?
O som surdo, rasgando véus que “prendiam” o Ilimitado.
Som das teclas,
Som da flecha,
Som de festa...
E o coração comungando,
no ritmo da canção: há Soma... mais e mais.

Silenciosa “espera”, mas sentindo e olhando: o Sol Nascendo.
Um longo suspiro: enfim!



sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Guardiões



Gaivotas e Garimpeiros.
Um trato firmado há tempos.
Como aves antigas, zelam.
Voavam observando, voavam nutrindo o povo com a energia.
Cada cota dada: nutriram.
Cada zelo: mantiveram...
Gaivotas sábias.
Por vezes, gaivotas em terra: garimpeiros


Garimpeiros antigos, puxando suavemente e lapidando, a pedra angular de cada ser.
Longo trabalho... as peneiras ao lado a repousar
Sábios Garimpeiros.
Gaivotas que sentem, alimento energia: já em expansão...
Garimpeiros que sentem: as pedras estão expostas...
Se faz necessário Lugar, onde juntos: guardiões antigos e povo, olharem para o céu.
E sentindo, verem: há luz.
Luz interna e Luz externa.


Aos guardiões de eras, que mantiveram e sustentaram a energia.
Profundo e Sentido: Respeito.

domingo, 20 de setembro de 2009

Movimento e Expansão



Palavra.
Falo a ti Arqueiro, na sintonia e no silêncio, cá estamos cientes que cada palavra: arcamos.
Cada uma dela, arco.
Inclino-me ao tom da condução, e sigo...

Qual pensamento que se projeta ou acompanha o movimento,
qual emoção que preenche ou não.
A escolha da freqüência muda o foco.

Área coração, comungada com elos.
Elos sentidos saem palavra: sempre.
O ideal sentido: silêncio.
Mas elas surgem...Vindas do que foi fincado e firmado.
Dentro do prometido. No prometido e permitindo-se, há Condução.
E o prometido - tão visto: cumpre-se.
Há expansão.

A afirmativa: arca-se com cada uma proferida.
As interpretações não detêm...estão se alinhado.
Como energia, está sujeita tudo, as variantes das interpretações ou as freqüências, mas não se exila o teor do Ser. Somente expõem: Seres.

Nas exposições da expansão, 
viajantes sabem, pois sentem que têm o mapa, 
está no pulsar coração em ritmo,
não há premio, exceto o retorno ao Reino. 
E o retorno é dado de mãos dadas.
A palavra não é de Um, é o som de Todos Viajantes. 
O som sendo entoado, qual murmúrio: som do coração.

E no movimento sentido da expansão vindo da condução: Seres sentem.
No silêncio é: seguimos...



quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Arqueiro

 

Nossas palavras.
Nossas falas, nossas comunicações, nossos gestos.
O contexto está nas freqüências que são proferidas.
Sem serem tuas ou minhas,
Exceto a sintonia que há necessidade ser mantidas.
Só dentro dela, energia coração, faz: sentido.
E lendo: Vamos?  - Dimensões Internas. Belo e sentido texto: inspiração.
E dentro também do contexto, assim facilita a própria mente se nortear.
Compreensão amorosa
Na compreensão amorosa: abraços, ato coração, onde o ser se desloca para situações (causa ou efeito).
Se o olhar for de Cá, cabem poucos, no abraço.
Mas a extensão da energia é ilimitada,
transborda e transcende onde “ainda” para a mente: é impossível.
E vem daí a escolha? Da limitação ou classificação dada por ela.
Impera o silêncio,
E nele tudo é sentido.
Sentido o respeito com o tempo de cada ser,
sentido que: tantos sentem... Mas falar, falar o quê? 
Se junta aí o comprometer. 
Ressurge a lembrança do Arqueiro,
Mirou os alvos e atingiu o coração... Dor alguma.
Inúmeros Si propuseram estar nesta área.
Arqueiro,
Ao som das palavras,
Cientes: responsáveis!
Arcando com cada uma delas.
...AR Quero.

domingo, 13 de setembro de 2009

Ali



Gritei, um grito surdo, e ouvis-te...
A resposta: brisa morna.
Olhando e sentindo,o movimento, o coração em ritmo...
Sentindo os movimentos da natureza, respira-se...
Sentindo a própria natureza interna, respira-se.
A mente acompanha e indaga: como permanecer neste contato?
A ela, cabe, a constância.
Pois no coração há permanência.
O olhar não é vago, olha o céu, o coração responde.
Sem divisa, embora em terra há o tempo e a distância.
Mas ao ser; ser energia coração,comungo com o ali.
Dentro do ser, há a certeza: não há tempo nem distância.
Abre-se tempo, e voa-se no aqui agora.
O sentido foge dos cinco.
A percepção da energia coração... Não, não toco o impossível.
Toco o ali, ali tão esperado e nunca cansado.
E ali me refaço.
E rendo minha vontade a Tua vontade.
Ecoa uma vontade...
A minha: de Lá ficar, lá o lar,
oitavas acima.
Não, não é alto...é simplesmente ali.
Uma vontade de tantos, e no tantos, pelos elos dourados dar-se à Soma.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Lá e Cá

 
-->
Achar que era só esperar e assim, chegar.
Mas alertou-me, como um risco no chão...
O movimento é mútuo.
Tanto de Lá como de Cá.
Um movimento de liberdade que, sem peso, nos faz voar.
Rompe-se a dualidade, área coração, e estamos.
Estamos cumprindo e seguindo.
Realizando em ações, o sentir: ali real.
Que se parar no enquadrar em regras ou rótulos, fica-se a margem...
Viajantes dão-se as mãos e sentem o ali, vêem o ali...
Acostumam conscientes: o Lá e Cá.
Como induzir paz, sintonia comunhão, Amor Luz?
Não como
Permitiram sentir, chegar e entrar, para assim estar.
E sentem, que existirá o vôo...

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Permitir

Nada é mais forte do que sentir e ver: o Emergir.
Apenas por haver se permitido sentir a existência do amor luz...
Luz que aquece o arquivo interno,
Sol que derreto o gelo...
Se permitir sentir coração,
Entrando nele, para assim estar.
Permitir...permitir sentir...
Por vezes falta o corrimão mental, mas o sentir segue...
Caso não acompanhe, fico a margem...
O mundo fica preto e branco.
O reino impera, sem imperador, sente-se o chamado: a soma amor.
Caso não acompanhe a sua ante-sala é de lamentações, de um “foi” passado...
E o que o coração mostra é o aqui presente.
No silêncio partilhado, apenas permitindo...

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Vento

 

O vento inclina a vegetação do campo numa bela sincronia...
O silêncio, só há o vento,
ele trás mensagens...
Um só vento e a decodificação da mensagem: é de cada um.
Estando dentro do silêncio e sentindo o vento,
O profundo respeito com a natureza da terra e dos seres.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Um Salto



"E é Mikail quem prega o crucifixo na parede.
Mikail desce da escada e olha o efeito, vira a cabeça para um lado e para outro, acho que está analisando o aspecto estético. Seria isso?
- O que tanto o intriga, Mikail?
Ele continua a olhar o crucifixo.
- Estou a pensar que hoje se comemora a véspera do seu nascimento, e o que tenho à frente é Ele, na cruz. Estranho, não é?
- Não diga que está convertido num bom católico, Mikail? Fala Igor.
Viro-me para Igor, que está bem atrás de mim.
- Não, estou só achando injusto. Está no lugar certo, Igor?
- A cruz ou o Homem?
Mikail sorri e balança a cabeça.
- Igor, você não acredita que seu Deus está ali?!!!
- Não, Mikail. Primeiro, ele não é Deus. Deus, para mim, está dentro de cada um de nós, nossa essência é divina.
A imagem é uma imagem. Os homens constroem templos de adoração, são erguidos monumentos para glorificar a passagem de um Ser. Os homens apegam-se ao que viram e criaram, religiões e leis. Esquecem ou não têm consciência de que esses seres são sentimento, dão sentimento, operam através do sentimento Amor. Na clareza do sentimento está a vontade, esta gera a energia que opera os ditos “milagres”. E os homens limitam-se aos porquês, limitam-se até onde seus pensamentos os leva, são seus guias. Têm no coração a vontade, e são conduzidos por pensamentos.
Os templos dentro do tempo, o sentimento-amor está além do tempo. Alguns templos ruíram, o Homem que, a meu ver, veio inspirar outros homens permanece. Por que?
A certeza do sentimento, faz com que comungue, por sentimento com Homens que vieram exemplificar o sentimento, apenas isso. Homens que resistem ao tempo por estarem além do tempo e por serem sentimento.

Cai o silêncio por um tempo indeterminado e olhando a imagem falo:
- Este Homem não criou religião nenhuma. E é mais fácil para nós, adorarmos um Deus morto, e não o Homem vivo. Andando por Assis, era fácil compreender Francesco, ele mostrava aos homens como era importante a ligação com a natureza, a simplicidade do ser e o Silêncio; a essência está em tudo! Morre Francesco nasce um símbolo. O que temos à frente é um símbolo, um grandioso símbolo do sentimento.
Igor fala:
- Ao meu sentir, você está certa, Ele é um símbolo, como foram outros. Ao prendê-lo na cruz, os homens se prendem. Seu martírio é tudo. Soltá-lo da cruz é um dos Saltos. Porém isso gera responsabilidade. Responsabilidade de encarar o mundo de outra maneira. É mais fácil delegar essa responsabilidade a Ele e outros iguais a Ele. As leis ditadas pelos homens são rígidas. Tolhem qualquer movimento de soltura e conseqüente liberdade. As leis ditadas pelos homens ditam o que é pecado. Por isso, na grande Lei da Terra, nós próprios nos punimos pelo que fazemos. É Lei terra: violá-la é repará-la. E, temos a outra simples opção, a Lei do Amor. Complicamos, não é?

E ficamos os três a olhar e a sentir."

Texto de História Encantada.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Lembranças


E vêm os dias e as noites.
Em meio à bela Terra, como o sol no mar, estão os Viajantes.
Os Viajantes continuam - é vital continuar.
Ressurge no coração quente ou ate num simples gesto ou olhar de alguém.
Nos trás algo familiar.
Qual o som da canção.
Sentem, por vezes, o sentir se torna tão distante, como as aragens.
Aragens - qual foto gasta pelo tempo...
As lembranças re-surgem...

sábado, 22 de agosto de 2009

Nascer do Sol


No silêncio partilhado,
elos sentidos,
Aguarda-se o Sol nascer...
Estão a caminho.
Alguns sentindo o Sol,
Alguns o Sol está a derreter geleiras da inconsciência ou barreiras mentais...

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Flores Flocos


Energia qual brisa trás as flores flocos,
Perfume conhecido...
E no conhecido: EnergiaCoração se desprende e toca.
A mente qualifica?
Não, rendida há muito: acompanha e evidencia.
Lembra da frase antiga:" Insanos são aqueles que reprimem o Amor.
Fantasioso é aquele que não O exprime.
Ilusório é aquele que se esconde da verdade Sentida.
Nós somos livres para nos expressarmos, vivermos, comungarmos."

Sim, lembro...
e neste aqui o que importa é sentir o Fluxo do Coração,
que alcança o “invisível”, mas tão sentido...
e como as flores flocos, desprendida e sentido: toca a Todos, toca em Tudo,
o simples ato de sentir e seguir o pulsar do coração...Ti Tocar

domingo, 16 de agosto de 2009

Silêncio



No silêncio,
observando e sentindo...
O sentir tão conhecido como o ar que se respira,
se exala o que sente...

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Vida Amor


Quando um homem se Rende ao sentimento Amor(pessoal ao fraternal, fraternal ao pessoal=Amor),
pois se vê diante de algo ilimitado...
Quando o homem vê dentro de si,
por vezes perplexo,
este sentimento o impulsionar, nutrir e gerar a força-vontade...
Quando o homem descobre que o amor é Tudo,
toma consciência de que o amor é vida, e vida é amor.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Constância



No coração a permanência, a plenitude.
Em Terra manter a constância com a sintonia.
E nela, diante da forte energia: há abalos vindos de escolhas.
Como mãe a Terra acolhe a todos,
E nesse todos, há tumultos.
“Se” detiver nos tumultos,
nos turbilhões emocionas ou mentais.
Sai-se da sintonia.
Constância, ato para a mente: manter-se no pulsar do coração,
respirando e sentido
Manter consciente o Caminho...

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Caminho


O andar em Terra,
Sentido a condução-coração,
Não torna fácil ou difícil
Há momentos que se olha para trás,
ver-se: todas as partes do trajeto,
partes de si mesmo: no aqui-agora.
Caminho sem volta,
E Caminho de volta ao Ser

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Presentes

E eis que Grande Coração,
dar presentes encantados.
Homem com um trabalho-serviço: belíssimo!







António Rosa - cova do urso

Este selo Alegria vem da Livreluz-Desvelando



Este dado a ele, Coração de Ouro, pela janela de joana
e momentos recortados

E não é mesmo parecido com ele: alegria e coração de ouro.
Agradeço Antonio!
O selo segue a todos os blogs que acompanho