quinta-feira, 18 de junho de 2009

Ao som da eterna canção...



Ao som da eterna canção.
Respirando qual o pulsar coração: ritmo.
Uma dança suave qual brisa morna.
Permitindo sair do tecer da mente racional e simplesmente: ser.
Naturalmente: Ser...

8 comentários:

adriana disse...

Que lindo!
A&L

ney disse...

"Somos feitos de silêncio e som"...
ney.

Anônimo disse...

Danças ao som da canção.

Marcos Takata disse...

Tereza muito bonito. Eu peguei sua chama e acendi em meu blog.

tereza ferraz disse...

Otimo Marcos!
A chama é para todos!
Abraço

Fausto Sotam disse...

Este poema\texto nos faz sentir mais leves, e livres, fluindo com o som\ritmo, é simples e muito bonito, Paz e abraços.

Energia Universal disse...

Lindo, doce ...lindo..como não vim aqui antes??
É que eu estava distante amiga, em outras praias catando conchinhas no mar!!!!

maria candida disse...

Simplesmente ser.